História do Prêmio Colunistas Brasília

11 de Setembro de 2013
História do Prêmio Colunistas Brasília



O Prêmio Colunistas existe há 45 anos. Fundado em São Paulo por Elóy Simões, Armando Ferrentini e  Cícero Silveira, o prêmio foi criado para incentivar o Mercado Publicitário à época em que não haviam muitos estímulos para que os profissionais fossem encorajados a criar além das “pranchetas” e ultrapassassem as barreiras que os separavam do mundo.

Nesta época o Prêmio recebia inscrições de todo o país, e agências de Goiás por exemplo competiam com agências de São Paulo e Rio em pé de igualdade, mesmo em diferentes proporções, já que a DPZ, com seus três brilhantes gênios, já brincavam com a criação e administravam como ninguém o planejamento da propaganda, enauqnto que as agências de outros estados ainda estavam no início.

Brasília se destacou no prêmio quando, à frente do Sindicato dos Publicitários, Fernando fora até São Paulo receber o Grande Prêmio de Destaque do Ano pela Criação do Sindicato. Começa aí colher os frutos pelo reconhecimento de suas lutas e o crescimento da classe. O Sindicato recebera o Prêmio de Destaque do Ano por sua Criação.  Logo veio o convite para integrar o grupo seleto de colunistas de Marketing e Propaganda que julgavam os trabalhos inscritos.

Percebendo essa “injustiça”, concluiu que Brasília demoraria a se destacar e receber prêmios se continuasse concorrendo com as grandes agências, pois seu mercado da comunicação estava em formação junto com a cidade, bastante jovem também. A sua primeira luta como membro da ABRACOMP – Associação de Colunistas de Marketing e Propaganda fora vencida: criavam-se as Regionais, que realizavam seus prêmios num primeiro momento e os vencedores de cada regional concorreriam entre si em igualdade de condições, já que concorriam apenas os melhores trabalhos, diminuindo assim as desigualdades.

Fernando conta que, inicialmente, somente os associados da ABRACOMP  poderiam compor o júri que avaliava os trabalhos, e os julgamentos duravam cerca de 3 dias, tanto em São Paulo no nacional como nas Regionais, já que as inscrições cresciam verticalmente, tornando o Prêmio Colunistas o mais importante prêmio da propaganda brasileira.

Com a globalização, a interatividade e as novidades tecnológicas o Prêmio foi se aprimorando, tendo o regulamento adaptado para receber novas mídias que surgiam e criar novas categorias. Também a direção passou a convidar novos profissionais com expertise em algumas áreas para integrar e enriquecer o corpo de jurados, valorizando cada vez mais os prêmios concedidos.

Com a participação já bastante significativa de Brasília nesta premiação, Fernando resolveu entregar os prêmios em uma cerimônia bastante significativa, para elevar mais ainda a alto-estima dos profissionais da indústria da comunicação do Distrito Federal, nascia aí uma das grandes festas do prêmio, bastante esperada todos os anos pelos publicitários da capital, já inserida no calendário de datas efemérides de Brasília, eleita pela categoria.
Buscando sempre inovar para expandir cada vez mais, Fernando Vasconcelos criou a Mostra Publicitária – hoje totalmente digital, na 10ª edição e o Anuário de Propaganda do Prêmio Colunistas – Portfólio que reúne todos os prêmios concedidos no ano, ferramenta de pesquisa bastante utilizada por professores, alunos e profissionais das agências de comunicação que recorrem à memória do livro. Esses eventos, produtos criados a partir do Prêmio Colunistas pelas mãos do Colunista Associado de Brasília, formam o Festival do Prêmio Colunistas Brasília.