Banco do Brasil cancela licitação de R$ 500 Milhões

Redação | 13 de Maio de 2017 - 14:57

A Licitação do Banco do Brasil, que oferecia verba de R$ 500 Milhões para contratação de 3 agências de propaganda, foi cancelada. A decisão, conforme nota do BB à imprensa, ocorreu após a realização de auditoria que não conseguiu comprovar vazamento ou favorecimento de um dos participantes, mas identificou “evidências de conflito de interesse”.

A decisão do BB de instaurar um processo de auditoria na licitação para escolha das empresas de publicidade ocorreu após o jornal Folha de S.Paulo afirmar, em reportagem, que tinha conhecimento do resultado da licitação antes da divulgação do nome do vencedor.

Segundo o banco, as investigações identificaram evidências de conflito de interesse que não foi declarado previamente à comissão por um dos integrantes indicados por órgão externo para compor a subcomissão técnica. Isso ocorreu, segundo o BB, apesar de todos os integrantes da subcomissão terem assinado declaração de inexistência de conflito de interesse.

A Multi Solution disse, em nota, que cumpriu "todas as exigências da licitação do Banco do Brasil" e que venceu "com trabalho sério e competente".

Leia o Comunicado na íntegra:

"I- Foi revogado, nesta data, o processo licitatório para contratação de agências de propaganda para prestação de serviços de publicidade ao Conglomerado BB;
II- A decisão ocorreu após apurações internas de denúncias veiculadas na imprensa;
III- Não foi possível comprovar que tenha havido vazamento ou favorecimento;
IV- Porém, as investigações identificaram evidências de conflito de interesse que não foi declarado previamente à comissão por um dos integrantes indicados por órgão externo para compor a subcomissão técnica. Isso, apesar de todos os integrantes da subcomissão terem assinado declaração de inexistência de conflito de interesse;
V- Considerou-se que tais circunstâncias poderiam ensejar recursos administrativos e judiciais, de modo a impedir a finalização do certame, além de manter incerteza sobre a lisura e regularidade do processo com potencial dano à imagem do banco;
VI- Sob orientação da Diretoria Jurídica, por dever de diligência e em atenção ao princípio da moralidade administrativa, o Conselho Diretor decidiu pela revogação do certame, exercendo a prerrogativa prevista na Súmula 473 do Supremo Tribunal Federal.
VII – O Banco do Brasil divulgará oportunamente novo edital e implementará recomendações da auditoria para aprimoramento do processo."