Curso de Relações Internacionais da ESPM realiza terceira edição do Ciclo de Debates sobre economia criativa

Redação | 24 de Novembro de 2016 - 18:55

A conexão entre cultura e economia se faz cada vez mais presente. Pensando nisso, o Observatório de Economia Criativa da ESPM – agência experimental gerida por estudantes do curso de Relações Internacionais sob a coordenação e orientação de docentes – chega à terceira edição do Ciclo de Debates – O Brasil e a Economia Criativa, evento que abordará São Paulo como cidade criativa, a economia da noite e do entretenimento e os novos modelos de negócios e casos de sucesso nessa área.

Durante o evento, os convidados discutirão sobre projetos que buscam entender e explicar como a música, a gastronomia, as artes cênicas e outras atividades culturais impactam as cidades e as vidas das pessoas. O Observatório de Economia Criativa da ESPM acontecerá entre 29 de novembro e 1º de dezembro, das 19h30 às 22h, e receberá importantes nomes do mercado nacional e internacional. Gratuito e aberto ao público, o evento será realizado no auditório da ESPM (Rua Dr. Álvaro Alvim, 123 – Vila Mariana – São Paulo).

No primeiro dia de debate, terça-feira (29), o tema será “São Paulo – Cidade Criativa”. Para discutir sobre o assunto, estarão presentes Prof. Luiz Alberto Machado, professor e economista com especialização em Desenvolvimento Latino-Americano pela Boston University; Baixo Ribeiro, curador das artes visuais e ativista urbano e criador da galeria Choque Cultural; e Lucas Foster, especialista em criatividade, economia criativa e desenvolvimento, fundador e diretor executivo da ProjectHub, primeira rede internacional de empreendedores da Economia Criativa estabelecida no Brasil, e embaixador no Brasil da THNK, Escola de Lidernça Criativa de Amsterdã.

No dia seguinte (30), para falar sobre “Economia da Noite/Economia do Entretenimento”, a ESPM receberá Domingos Leonelli, publicitário, deputado estadual, deputado federal (por três mandatos), presidente da Empresa de Turismo da Bahia (Bahiatursa), presidente do Instituto Pensar e coordenador do projeto Plano Estratégico para a Economia Criativa do Estado de São Paulo; Leandro Lema, sócio-diretor da agência Lema, empresa que há quatro anos atua com estratégias de comunicação para marcas e projetos culturais; e Lucas Baruzzi, advogado com especialização em políticas públicas e em direito para temas do meio ambiente, assessorou o vereador Andrea Matarazzo entre 2013 e 2016, e é advogado do escritório Barros Filho e Almeida Prado Advogados, responsável pelas áreas de meio ambiente, urbanismo, conteúdos criativos e direito político e eleitoral.

Para finalizar o III Ciclo de Debates, na quinta-feira, 1° de dezembro, e falar sobre “Novos Modelos de Gestão/Novos Modelos de Negócios em Economia Criativa” estarão presentes André Sturn, diretor executivo e curador do Museu da Imagem e do Som (MIS) e que participou de diversas comissões e conselhos de audiovisual nas três esferas de governo, com destaque para o Conselho Nacional de Cinema, onde atuou por duas vezes; Prof. Luiz Armando Bagolin, diretor da Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo; Beto Lago, criador do Mercado Mundo Mix, autor de projetos como a Virada Cultural de São Paulo, a transformação do Minhocão na high line paulistana, a revitalização da Praça Roosevelt, em São Paulo, e da Lapa, no Rio de Janeiro; e Arthur Norgren, sócio fundador e CEO containt[it], com especialização em negócios pela Sciences Po, de Paris.