J. Walter Thompson lança campanha para ajudar a combater preconceito contra indígenas

Redação | 15 de Março de 2017 - 15:11

Captada numa aldeia no Rio Negro, a comunicação é a primeira da agência para o Instituto Socioambiental (ISA)

Na parte mais noroeste da Amazônia Brasileira, região conhecida como “cabeça do cachorro”, vive o povo indígena Baniwa, que protagoniza a nova campanha do Instituto Socioambiental (ISA). Criada pela J. Walter Thompson, com produção da Pródigo Filmes, a campanha institucional é a maior da história do ISA e a primeira em parceria com a agência.

O objetivo do trabalho é desmistificar a figura do índio isolado, como o único indígena digno de ter seus direitos respeitados. “Parte da população criou no imaginário – com a ajuda, inclusive, de livros escolares – a figura do índio ‘puro’, o índio mais índio que os outros, como se aqueles que fugissem desse estereótipo não merecessem ter seus direitos garantidos”. A afirmação é de Mariana Borga, diretora de criação da J. Walter Thompson, que acrescenta: “Queremos quebrar esse preconceito”.

Os Baniwa – etnia que apesar de ter incorporado diversos hábitos não-indígenas mantém sua organização social, sua língua e uma forte relação com o meio ambiente – foram os escolhidos para dar corpo (e rosto) à mensagem. “Eles se identificaram na hora com a proposta, porque têm a sua identidade questionada com frequência”, salienta Bruno Weis, coordenador de Comunicação do ISA. “Eles se sentem, se reconhecem e se apresentam como índios, mas uma parte da população insiste em dizer que não são”.

Detalhando um pouco mais a estratégia da campanha, Ricardo John, CCO da J. Walter Thompson, comenta que o ISA faz um trabalho fundamental com as populações originárias do Brasil e precisa de apoio para continuar nessa luta. “Mas é impossível obter esse apoio enquanto as pessoas continuarem a ter preconceito”, diz ele. “Nós já não somos mais como os nossos tataravós e nem por isso temos a nossa identidade questionada, então por que fazer isso com os indígenas?”, questiona Rodrigo Grau, também CCO da J. Walter Thompson.

O projeto, que chegou à agência através do Planning4Good, uma iniciativa do Grupo de Planejamento da qual participavam Fernand Alphen, então head de planejamento da J. Walter Thompson, e Jurandir Craveiro, Presidente do ISA, toca num ponto delicado: “O insight do preconceito expõe uma questão pouco admitida no Brasil, que é o racismo contra os índios”, diz Jurandir.

Para a produção, uma equipe reduzida de dois diretores, um assistente de direção e um operador de som com um drone acompanharam toda a rotina dos Baniwa ao longo de seis dias na floresta. “Deixamos de lado todo o pensamento publicitário e encaramos o projeto como um documentário”, conta Andre Godoi, diretor de cena da Prodigo Films. “Eu pude aliar a fotografia e a direção em um conceito direto e real, retratando os índios e a questão do preconceito”, completa Daniel Klajmic, também diretor de cena da produtora. A campanha conta com um filme para TV, internet e para cinema, além de outras peças digitais.

Ficha Técnica:
Agência: J.Walter Thompson Brasil
Cliente: Instituto Socioambiental
CCOs: Ricardo John e Rodrigo Grau
ECD: Humberto Fernandez
Head of art: Humberto Fernandez
Direção de Criação: Mariana Borga
Diretores de Arte: Caio Gandolfi
Redação: Diego Ferrite e Mariana Borga
Atendimento: Renata Buess, Henrique Sarcinella e Caio Sabag
Mídia: João Dabbur, Camila Bertoli e Pedro Graça
Planejamento: Fernand Alphen, Bertrand Coca e Marcus Pesavento
Diretora RTV: Marcia Lacaze
Produção RTV: Marcia Lacaze
Produtora: Prodigo Films
Diretor: Andre Godoi e Daniel Klajmic
Direção executiva: Francesco Civita
Produção executiva: Gregory Bontá, Nathalie Gautier
Produção executiva ISA: Beto Ricardo, André Villas-Bôas, Bruno Weis, Jurandir Craveiro
Produção Executiva Oibi: André Baniwa
Direção de fotografia: Daniel Klajmic
Elenco: moradores da Comunidade Tucumã Rupitá, além de professores e estudantes da Escola Indígena Baniwa Coripaco Pamáali, Rio Içana, Amazonas
Coordenação de pos: Tutu Mesquita
Montador: Kauê Kabrera
Finalização: Dot
Pós-produção: Tutu Mesquita
Atendimento Produtora: Tatiana Cinelli, Chico Pedreira, Claudia Rocha
Produtora de Som: Satelite Audio
Maestro: Equipe Satelite
Atendimento Produtora de som: Fernanda Costa e Tiago Armani
Aprovação/cliente: André Villas-Bôas/Instituto Socioambiental
Agradecimentos: Carlos Barreto, André Baniwa, Adeílson Lopes da Silva, Wizer de Oliveira Almeida, Claudino Silva e todos os moradores da Comunidade Tucumã Rupitá e todos os professores e estudantes da Escola Indígena Baniwa Coripaco Pamáali