Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

Licitação do Banco do Brasil empacou

Redação | 20 de Maio de 2017 - 14:37

Um servidor do Ministério da Ciência e Tecnologia, Marcus Sinval – membro da Subcomissão da Licitação do Banco do Brasil pode ser a causa do conflito de interesse da suspensão do resultado da concorrência do Banco do Brasil.

Uma auditoria interna está sendo realizada pelo BB para apurar o processo da licitação aberta para selecionar 03 agências de publicidade, à qual venceram as empresas MultiSolution, nova/sb e Z+ para atendimento da conta da instituição.

Tudo indica que Sinval será apontado como a pessoa que apresentou “evidências de conflito de interesse que não foi declarado previamente à comissão por um dos integrantes indicados por órgão externo para compor a subcomissão técnica”, segundo nota divulgada pelo Banco para suspender a licitação. Sinval, além de atuar na Assessoria de Comunicação do Ministério, é sócio da Pixel4, empresa produtora de sites e projetos digitais.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, sua atuação no julgamento é bastante peculiar, pois foi o único membro que concedeu as maiores notas do plano de comunicação da vencedora, a MultiSolution. A agência recebeu de Marcus notas máximas nos quesitos principais – estratégia de comunicação e ideia criativa, além de dois pontos a mais que seus colegas em estratégia de mídia, levando-a a ficar em primeiro lugar na classificação geral da concorrência – do Tipo Melhor Técnica. É dele também a maior nota dada à agência em Capacidade de Atendimento, sendo que a Multisolution não possui estrutura em Brasília, área de atendimento da conta.

O membro afirmou que enviou à Comissão de Ética Pública da Presidência declaração de informações em que consta esta participação societária e que a empresa se comprometeu a não participar de nenhuma concorrência na esfera federal, para não haver risco de conflito de interesse.

A MultiSolution comunicou que lamenta a decisão do Banco e que tomará as medidas cabíveis para reverter essa decisão. Seu diretor, Pedro Queirolo, declarou que não entendeu porque o conflito de interesse revogou o resultado e vai recorrer à justiça para mantê-lo.

A assessoria de imprensa do Banco do Brasil informou que as solicitações feitas pelas agências para esclarecimentos estão na área jurídica e será necessário aguardar o resultado da auditoria, que está em andamento.