Ministério da Saúde julga recursos contra o resultado da Concorrência

Fernando Vasconcelos | 23 de Dezembro de 2016 - 16:03

A Concorrência 002/2016, para contratação de 4 agências de publicidade realizada pelo Ministério da Saúde, recebeu recursos das agências Ampla – classificada em 6º lugar e da Agência Lá – classificada em 28ª colocação.

As agências Fields360, nova/SB, Calia e CCP venceram a Concorrência, do Tipo Melhor Técnica, que oferece uma verba publicitária de R$ 205 Milhões no primeiro ano.

O recurso da Ampla foi recusado e descartado, pois a procuradora da empresa não possuía poderes para representar formalmente a agência. Já o recurso da Agência Plá recebeu da Comissão Técnica todas as explicações para seus questionamentos.

A empresa pediu que a Concorrência fosse declarada frustrada ou anulada, pois acredita que não recebera julgamento adequado quanto à campanha apresentada. Segundo seu representante, a Comissão não avaliou corretamente sua ideia criativa.

A Comissão explicou que o briefing contido no edital solicitava campanha de conscientização da população sobre a importância do ato da doação de sangue, com foco na valorização do doador, com a clara intenção de estimular o ato. O tema apresentado pela Plá “Doe sangue, recarregue uma vida” foi considerado inapropriado, sem conhecimento do programa promovido pelo Ministério e ineficiente no atendimento dos objetivos propostos. Ficou evidente que a agência teve equivocada interpretação pela fraca campanha apresentada, evidenciando que tem pouca experiência e desconhecimento do programa de governo para doação de sangue.

A Comissão finalizou a análise do material apresentado, considerando como inapropriada a comparação do sangue com bateria, que segundo eles “inadequado à natureza e qualificação do Ministério da Saúde”.

A Folha de São Paulo publicou em sua edição de domingo (18) que a Cia de Comunicação & Publicidade (CCP) tem as “digitais do sociólogo Antônio Lavareda e do publicitário Duda Mendonça. Lavareda é apontado como um dos principais conselheiros do presidente Michel Temer. Duda foi, por sua vez, o responsável pela campanha que levou Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência em 2002".

Circula no mercado que agências entrarão com ação civil pública para contestar o resultado dessa Concorrência e farão denúncias no MPF - Ministério Público Federal e no TCU – Tribunal de Contas da União.