Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

MORRE ALEX PERISCINOTO

Fernando Vasconcelos | 18 de Janeiro de 2021 - 17:22

 Morreu domingo (17.1), aos 95, o publicitário Alex Periscinoto, um dos nomes mais importantes da publicidade brasileira vítima do Covid – 19. O caçula de uma família de imigrantes italianos teve seu primeiro emprego como operário nas Indústria Matarazzo. Depois foi trabalhar na Sears e chegou a ser gerente. Foi gerente de propaganda do Mappin.

Em 1960 foi convidado para ser sócio da Alcântara Machado Publicidade, convite que foi aceito. Ficou na Almap de 1960 a 1998. Ao jornalista e amigo Paulo Macedo, do PROPMARK Alex Periscinoto citou dois marcos importantes: “o primeiro foi quando visitei a DDB em Nova York em 1958. Ensinamentos que trouxe para a Almap. Ajudei a ganhar a concorrência feita pela Volkswagen. O outro choque cultural que tive foi ser convidado pelos representantes do Festival Internacional do Filme Publicitário – hoje Cannes Lions, para integrar o corpo de jurados em 1973”. Alex Periscinoto foi o primeiro brasileiro a fazer parte do júri.

Em 1998 Alex Periscinoto vendeu suas ações para a norte-americana BBDO, que depois comprou a Almap e passou a ser AlmapBBDO.

Alex Periscinoto viveu aqui em Brasília um episódio o qual compartilhou comigo. No final do governo Figueiredo e após a SECOM ser extinta pelo general Golbery do Couto e Silva, Alex foi chamado ao Palácio do Planalto e foi convidado para assumir a área da publicidade. Após a reunião com o todo poderoso Golbery, Alex me ligou contando o seguinte diálogo: “foi conduzido a sala de recursos humanos para providenciar a documentação. Aí me disseram que eu tinha que trazer a minha carteira profissional, atestado médico e uma cópia do contrato social, com a retirada do meu nome como sócio da agência. Vasconcelos achei isso muito esquisito e estou ligando para o amigo para ouvir a sua opinião”. Alex não aceitou o convite, vindo a trabalhar em 1998 com Fernando Henrique Cardoso na função de Secretário Institucional do Governo Federal por dois anos.

No ano 2000, Periscinoto fundou a SPGA empresa de consultoria destacando-se no ramo de seleção de agências e consultor de presidentes de empresas como Vale, Santos Brasil, Votorantim, Basf e Bradesco. Foi colunistas da Folha de São Paulo, presidiu a Fundação Bienal de São Paulo e fazia parte do Conselho Deliberativo da Escola Superior de Propaganda e Marketing.

A ESPM lamenta profundamente a morte de seu conselheiro, o publicitário Alex Periscinoto. Com sua inteligência e talento criativo, Alex Periscinoto foi um ícone da publicidade brasileira. “Sempre gentilíssimo com todos, foi um grande amigo e incentivador da ESPM”, diz Dalton Pastore, presidente da instituição. “Foi um enorme privilégio e uma grande honra ter tido Alex ao nosso lado por tanto tempo.”

Será realizada uma missa online e a data e horário serão definidos pelos familiares. Alex era casado com Maria Lucia e deixa duas filhas, quatro netos e um bisneto.