Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

O Globo apresenta nova plataforma feminina ELA em evento para o mercado publicitário

Redação | 23 de Novembro de 2017 - 17:49

Prestes a completar 54 anos, ELA, espaço do Globo dedicado às mulheres, vai passar por mudanças em suas três plataformas: revista, online e eventos. Agora sob o comando de Bruno Astuto, uma das maiores referências de moda e lifestyle do país, a nova plataforma ELA injeta frescor na tradicional revista dominical e conteúdos leves e contemporâneos na plataforma digital, aumentando a presença online com o site e as redes sociais.

A nova plataforma, batizada de Planeta ELA, foi apresentada a agências de publicidade, anunciantes e demais representantes do mercado em um evento na sede da Infoglobo na terça-feira, dia 21 de novembro. Bruno Astuto, editor-geral da plataforma, e Virginia Any, diretora de Mercado Anunciante da Infoglobo, mostraram como ELA se reafirma com forte expressão editorial em moda, decoração, gastronomia, arte, arquitetura e turismo no Rio de Janeiro, valorizando o espírito otimista e irreverente do carioca.

A nova revista ELA traz um olhar feminino sobre os temas da atualidade através da relevância inquestionável do Globo para o país como um todo. Unindo bom gosto e bom humor, a revista cria um diálogo direto com os leitores e seguidores. Colunistas, cronistas e toda a equipe de redação vão trazer o que existe de mais criativo, inovador e surpreendente no Rio de Janeiro, no Brasil e no mundo. Tudo para inspirar as leitoras.

No dia 9 de dezembro, o caderno ELA no formato standard deixará de ser publicando para no dia seguinte, 10 de dezembro, dar espaço para uma revista totalmente repaginada com nova logo e com o verão como tema. Assim como foi comentado por Bruno Astuto durante o evento, a revista promete um conteúdo de fácil leitura, colorido e repleto de imagens. O Planeta ELA, ainda segundo o novo editor, terá como parte de seu conteúdo o tripé moda, decoração e gastronomia, temas que atraem o leitor, mas que necessitam de uma nova abordagem para seguirem relevantes.