Please enable JavaScript to view the comments powered by Disqus.

Sites de apostas esportivas investem em propaganda no Brasil

Redação | 31 de Dezembro de 2019 - 10:00

De acordo com o site GamesBras, citando uma informação do Gaúcha Zero Hora, os dois grandes times de futebol da capital do Rio Grande do Sul, o Grêmio e o Internacional, estariam negociando acordos de patrocínio com sites de apostas esportivas para 2020. Seria mais um passo importante na caminhada que as apostas online vêm fazendo no Brasil.

As apostas online foram legalizadas oficialmente há cerca de um ano, quando o presidente Michel Temer sancionou a MP 846/18 que previa a liberação das apostas de quota fixa, com um prazo máximo de 4 anos para o processo de regulação. A MP 846/18 vinha tramitando havia meses e teve um impulso decisivo com a chegada do presidente eleito, Jair Bolsonaro, que nos dois meses entre sua eleição e sua tomada de posse colocou seu peso político do lado da aprovação. Sem causar reações na bancada evangélica, que não questionou a liberação dessa variante de jogo de fortuna, Bolsonaro invocou a necessidade de conseguir mais receita para ajudar Sergio Moro, novo ministro da Justiça, a combater o crime.

O processo de regulação andou de forma bem rápida ao longo de 2019, já tendo passado a fase de questionamento dos “players” envolvidos, e espera-se que em junho de 2020 esteja terminado. Uma das medidas mais importantes foi a decisão de não determinar período de quarentena para as plataformas de apostas esportivas online internacional já atuando no Brasil. A verificação da conformidade com os termos da lei será feita depois, para não criar incerteza no mercado.

Claro que, na prática, as plataformas de apostas esportivas já vêm “apostando” em propaganda no Brasil há vários anos. E não é só pela inclusão dos jogos do Brasileirão em seus mercados de apostas (que, de resto, despertam o interesse de milhões de usuários por todo o globo.) Nem só pela criação de versões de seus sites, ou de seus aplicativos, em português do Brasil, com equipes de suporte ao cliente respondendo em português também.

É também pelo investimento em propaganda no futebol tupiniquim. Nos últimos anos, os acordos de patrocínio vinham crescendo, ainda que de forma tímida pois não tinha um enquadramento legal para eles. Em teoria, a atividade de apostas esportivas era proibida, mas claro que na prática, como a aposta era feita no exterior, nada tinha de ilegal para os usuários. O patrocínio de uma atividade não prevista na lei era como terra sem dono, onde ninguém sabia onde estavam os limites da lei. Agora, com a legalização confirmada e a vontade mostrada pelo governo de não criar limites à atividade das empresas, tudo é diferente. Na edição do Brasileirão de 2019, 13 dos 20 times tiveram patrocínio de alguma casa de apostas online. Grêmio e Internacional terminam seus contratos de patrocínio nesse mês de dezembro de 2020 e já se sabe que o contrato não será renovado.

O Brasil é um dos últimos grandes países a legalizar o acesso a apostas esportivas. Um país com mais de 200 milhões de habitantes, uma elevada taxa de penetração de internet e uma grande paixão pelo futebol e pelo esporte em geral representa uma grande oportunidade para as empresas, tanto nacionais quanto estrangeiras.